Carregando... Aguarde...
Home
ENCAPSULADOS
Ervas
Tempero
TINTURA
43984382092

Newsletter



Passe o mouse na imagem para zoom

  • Originária da Europa, a planta zimbro possui o nome científico Juniperus communis. Pertencente à família Cupressaceae, zimbro pode ser identificada por suas flores delicadas em tom amarelado, e pelas pontiagudas folhas de seus arbustos. Trata-se de uma planta de porte mediano, com frutos arredondados de aroma e sabor especiais, comumente utilizados com a finalidade de aromatizante ou tempero. O zimbro comumente é utilizado no gin, para aromatizá-lo e dar seu gosto característico, deixando a bebida e seu aroma adocicados de maneira leve. De acordo com cada região, a planta zimbro pode ser conhecida popularmente como fruto de genebra, genebreiro, junipo, junípero e zimbrão. Porém, acredita-se que ela possua outras serventias, como propriedades medicinais benéficas para o organismo humano.
Chá de zimbro - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução
Propriedades e benefícios do chá de zimbro

O zimbro exerce determinados benefícios sobre o organismo, de acordo com as seguintes propriedades importantes nele contidas:

    Anti-inflamatório;
    Antirreumatismal;
    Antisséptico;
    Aperitivo;
    Carminativo;
    Calmante;
    Digestivo;
    Diurético.

Assim, é possível prevenir muitas doenças com a planta zimbro, ou em casos no qual o indivíduo já se encontra em enfermidade, ser um poderoso auxiliar no tratamento. Por exemplo, sua propriedade anti-inflamatória lhe permite auxiliar dores musculares causadas por inflamações, assim como inflamações de garganta, intestinais, entre outras; o reumatismo também possui seus sintomas aliviados e reduzidos com o consumo do zimbro; como poderoso antisséptico é importante para o tratamento de espinhas, acnes, irritações na pele e celulites; quem sofre de insônia, depressão, hiperatividade ou nervosismo também se beneficia do consumo de zimbro, que age como calmante; reduz a acidez estomacal, evitando problemas digestivos; elimina ou reduz em grande proporção o mau hálito; o zimbro também é muito eficiente para tratar problemas respiratórios, como asma e bronquite; promove uma ?limpeza? no organismo por suas propriedades diuréticas, que estimulam a eliminação de líquidos, expelindo pela urina toxinas e bactérias, além de contribuir para o emagrecimento.
Efeitos colaterais e contraindicações

No caso de tratamentos realizados com a planta zimbro por um longo e prolongado período, observa-se o aumento da possibilidade de ocorrência de problemas renais. Indivíduos portadores de doenças renais ou gestantes não devem consumir a planta.

Lembramos que cada organismo é único e responde aos estímulos feitos de maneira diferenciada. Assim, recomenda-se fortemente que nunca se inicie um tratamento medicinal ? seja ele industrializado ou natural ? sem o auxílio e orientação de um médico de confiança.
Modo de preparo

É possível encontrar os frutos da planta zimbro em forma de pó, em farmácias e lojas de produtos naturais. Leve ao fogo duas colheres de sopa do pó de zimbro, juntamente com meio litro de água. Deixe ferver por cinco minutos, então abafe o recipiente e aguarde até que o chá amorne. Quando a temperatura estiver adequada para consumo, beba o chá e repita o procedimento uma vez por dia, durante uma semana ou de acordo com a indicação médica.



ZIMBRO
Avaliação dos clientes: ( )

Preço: R$ 15,00





Compartilhe




  • Descriçao do Produto
  • Comentários de Clientes
  • Video do Produto

Nas zonas montanhosas e elevadas de Trás-os-Montes e Minho aparece o zimbro com. freqüência (juniperus communis). É um arbusto perene com ramos a partir do solo. As hastes e os ramos são disformes e torcidos. A casca é irregular e tem uma cor parda avermelhada; a madeira é dura e aromática.
As bagas maduras de azul escuro colhem-se no tempo seco, escolhendo-se as mais claras, isto é, com menos impurezas, deitando do fora as secas ou verdes.
 

Composição -- Com respeito a substâncias ativas e composição, encontra-se açúcar invertido, gorduras, resina, pectina, ácidos orgânicos, a juniperina (glicósido que tem tanino), inosita, pentosa nas e um importante óleo essencial que, por sua vez, contém terebenteno, canfeno, terpineol, juniperma e outros alcalóides. O conteúdo das bagas em óleo essencial, segundo o receituário alemão, é pelo menos de 0,1 %.

Modo de Atuação e Usos Terapêuticos -- O zimbro oferece em suas bagas um antigo meio curativo. A sua ação é múltipla. Os efeitos excitantes e energéticos mais importantes recaem nos órgãos e tecidos seguintes:

a) Sobre a mucosa gastrintestinal: o óleo essencial leva a uma maior vascularização da mucosa, regula a atividade das glândulas digestivas e dos músculos da via gastrintestinal e exerce grande atividade antibacteriana, porque sendo dissolvente das gorduras introduz-se nos organismos bacterianos. Os zimbros são de aplicação indicada nas diferentes perturbações gastrintestinais e em todos os transtornos do sistema hepático-biliar que tem relação causal com as doenças da mucosa intestinal.

b) Sobre os tecidos pulmonares e mucosa bronquial: o óleo essencial elimina-se, em parte, pelos pulmões. Atua como limitante da secreção das glândulas bronquiais e como excitante dos movimentos vibratórios da mucosa nos brônquios, de modo que a expectoração se torna mais rápida. Ao mesmo tempo, faz-se sentir a sua eficácia antibacteriana. Nos processos pulmonares infecciosos o seu emprego como meio auxiliar é muito aconselhável, sobretudo nos casos de gangrena pulmonar e de tuberculose.

c) Sobre os tecidos renais: a maior parte do óleo essencial é eliminado pelos rins, pelo que se produz uma espécie de excitação dos tecidos específicos e, com isso, maior produção de urina. Contudo, as grandes quantidades levam à irritação e inflamação e até à hemorragia. O emprego do zimbro está só indicado, portanto, para todas as doenças renais, não inflamatórias, isto é, má expulsão da urina por hidropisia, para as inflamações articulares, estados gotosos, reumatismo e enxaquecas. Se os edemas são devidos a debilidade circulatória, a ação dos zimbros não deixará de ser plenamente satisfatória.

d) Sobre os órgãos sexuais femininos: o óleo essencial provoca um aumento da vascularização dos orgãos genitais e, por isso, dos períodos. No caso de regras atrasadas e dolorosas podem os zimbros prestar bons serviços, combinados com alecrim e arruda. Na gravidez é melhor prescindir dos zimbros, porque pode produzir-se uma irritação desnecessária da matriz e dos rins.

Sobre o metabolismo: o efeito excitante dos zimbros sobre as vias digestivas e respiratórias e os tecidos renais significa, em conjunto, forte renovação do metabolismo, de modo que a idéia popular de limpeza do sangue parece justificada. Inclusive para as doenças de endurecimento da pele, a gota, o reumatismo, as deficiências glandulares e a mistura do ácido úrico no sangue (diátese úrica), é de esperar um efeito favorável.

0 emprego mais simples em todos os casos citados é a cura de zímbros de Kneipp, na qual se consomem mastigadas quatro bagas no primeiro dia, cinco no segundo, seis no terceiro, e assim sucessivamente, até ao duodécimo dia, em que se tomam quinze bagas. Depois vai-se tomando diariamente, uma baga a menos, até se chegar a cinco bagas; esta cura, repetida quatro ou cinco vezes, depura também o sangue doente.

Como meio diurético prepara-se uma xícara de infusão com uma colher grande de bagas secas prensadas ou então toma-se mente uma colher de xarope de zimbros.

Como Condimento -- Utilizam-se as bagas, aos pedaços ou moídas, para cozidos de carne, peixe, caça, legumes, saladas cruas e para regimes, assim como para conservar repolho fermentado (chucrute). Os doentes de rins devem evitar o zimbro, inclusive como especiaria.

 

Zimbro (Juniperus communis)

Esta é uma planta praticamente desconhecida pela população brasileira. Poucos já ouviram falar sobre os frutos de junípero no preparo de bebidas ou como condimentos de alguns pratos de carnes de sabor forte, como as de caças ou mesmo a de suínos.

 

O junípero é um pinheiro nativo do norte da Europa, de regiões bem frias. É uma arbórea de pequeno porte, de tronco ereto e lignificado. Suas folhas são de coloração verde escuro, formando uma escama, parecida com as folhas da araucária. Seus frutos são verdes inicialmente, e à medida que vai amadurecendo vai se modificando para uma coloração anil, chegando até a cor preta. Este processo de amadurecimento pode chegar até três anos.

 

O nome de zimbro, tem origem indo-européia, significando "junco". Já o nome junípero, deriva da palavra holandesa genever, que acabou dando origem à palavra gin. Isto mesmo, o junípero é a planta utilizada para aromatizar o gin, aquela bebida alcoólica destilada de cereais. O grande volume dos frutos vai para as indústrias de gin, e uma pequena parcela vai para o mercado de especiarias.

 

Na Europa antiga, o junípero era utilizado para mascarar o aroma de carnes passadas. Era considerada uma planta mágica, sendo utilizada para afugentar demônios e espíritos malignos. Tanto é que seus frutos eram queimados nos quartos de enfermos, isto para defumar o ar e para afugentar as energias negativas. Como possui uma grande ação anti-séptica, servia não só para limpar o ambiente, mas também acabava atuando no doente quando este aspirava sua fumaça.

Empregam-se seus frutos como condimento e para tratamento ou prevenção de algumas doenças. Já a sua madeira é muito empregada no preparo de defumados. Além de conservar os embutidos e os presuntos, vai dar um sabor bem característico, que por sinal é muito agradável.

 

O junípero possui ação digestiva, tônica, carminativa, estimulante, diurética, e também pode ser utilizada para reumatismo e halitose. Vamos então preparar um delicioso elixir de zimbro. Esmague 240 g de frutos de zimbro, adicione 375 g de água, 300 g de álcool neutro a 60ºGL, 6 g de sementes de anis estrelado e 3 g de canela. Deixe em maceração por 10 dias sem agitar. Filtre e coloque em uma garrafa adicionando meio quilo de açúcar. Tome meio cálice antes das refeições para aumentar o apetite e auxiliar nos processos digestivos. Se tomado após a refeição irá auxiliar a digestão e também irá facilitar a eliminação de gases estomacais, normalmente responsáveis por cólicas.

 

Para o preparo de um molho de zimbro coloque os frutos secos em uma panela, cubra com água e deixe cozinhar até que os frutos fiquem bem tenros. Esmague a polpa e adicione o equivalente a 3 vezes o peso da polpa em açúcar. Bata a mistura vigorosamente e deixe esfriar. Coloque em pequenas porções na mesa para as pessoas se servirem. Acompanha muito bem carnes de sabor forte, como javali, capivara e suínos. Experimente preparar este molho e servir junto com o tender no final do ano. Você verá a surpresa das pessoas ao descobrir seu delicioso sabor e seu aroma perfumado. Normalmente encontramos os frutos secos de zimbro na sessão de condimentos dos supermercados ou então em farmácias especializadas em ervas. Não deixe de experimentar o zimbro, você ficará espantado com sua grande capacidade digestiva e anti-espasmódica.

Ademar Menezes Junior

 



Pedido Fone  43 3325 5103

Escreva seu próprio comentário para o produto

Comentários Enviados

Este produto não recebeu nenhum comentário até agora. Seja o primeiro e enviar um comentário para este produto!